Brincar livre na infância

2020 foi um ano que ficará marcado para sempre em nossas vidas. A pandemia do coronavirus chegou e mudou tudo. De repente, surgiram restrições de convivio social e as escolas fecharam as portas. Ninguém sabia exatamente o que iria acontecer pois tudo era imprevisível. O ensino agora é a distância e totalmente digital. Uma mudança brusca na vida das crianças aconteceu e ainda permanece entre nós.

Então, por que falar desta transformação na sociedade se o tema é brincar livre? Justamente para nos lembrar o quanto as crianças podem sofrer ao terem sua liberdade interrompida e como ela é importante para seu desenvolvimento nos primeiros sete anos de vida.

Segundo vários especialistas em educação – seguidores das filosofias Mantessori e Waldot – da qual pesquisei, são unanimes em afirmar que o brincar livre é o princípio essencial para que as crianças se desenvolvam.

Quando uma criança está brincando, ela também “trabalha” e quando o faz livremente, está criando novas regras de cultura, está interagindo e aprendendo a se relacionar com o mundo a sua volta e com os outros. Por isso, o brincar livre não pode e nem deve ser cronometrado e, menos ainda, haver imposições de regras. Para a criança, a brincadeira pode siginificar a vivência de diferentes momentos. Oras querem estar ali no ócio apenas observando a vida ao seu redor, contemplando a natureza,em outros, determinam onde, como e quando querem brincar. Ao fazerem suas próprias escolhas, se reconhecem e são capazes de dar pequenos passos no sentido de se tornarem indivíduos.

Em termos criativos, crianças que brincam em espaços naturais (quintal de terra, parques, etc) têm muito mais chances de inventar as próprias brincadeiras, de criar regras e vivenciar com mais proximidade o espaço onde está inserida naquele momento. Para especialistas, quanto mais peças soltas houver no ambiente mais criativas serão as brincadeiras. E a natureza é capaz de fornecer diferentes elementos para que isso ocorra.

Quem nunca passou as férias no sítio dos avós ou dos tios nas férias escolares e voltou para casa com um monte de histórias para contar?

É justamente nestes ambientes naturais que as crianças colocam para “trabalhar” todos os seus desejos utilizando os recursos disponíveis do local, tudo está ali, há um palmo das suas mãozinhas. Este é o momento em que sua alma imaginativa é nutrida e, no futuro, certamente será um adulto muito mais criativo, produtivo e muito mais preparado para lidar com as situações do seu cotidiano.

Em um momento como este que estamos vivenciando, onde a escola e os coleguinhas são vistos apenas pela tela do computador e os relacionamentos entre eles estão restritos pois não podem se encontrar, o brincar livre em ambiente seguro junto à natureza e a família pode se tornar um escape para o confinamento e a busca de equilíbrio entre o mundo digital e o mundo real para que as referências não se percam.

O equilibrio emocional das crianças é muito importante neste momento para que se sintam inseridas no ambiente e na vida familiar de forma que continuem também se relacionando com o mundo lá fora. Por isso, é fundamental que os pais criem oportunidades para que os filhos possam brincar livremente em ambientes abertos e seguros.

Quando brincar em contato direto e livre com a natureza não  for possível, o ideal é que os pais construam um ambiente lúdico para a criançada. Ofereça brinquedos e objetos de materiais naturais (madeira, tecido de algodão e lã), duráveis e bonitos pois, do ponto de vista da estética, estes brinquedos irão influenciar na formação dos sentidos e no respeito com a natureza. Aqui vale ressaltar que, os pais podem contar para as crianças qual é a origem dos materiais utilizados na confecção destes brinquedos e ensinar como a natureza é um mportante em nosso dia-a-dia. Exemplo, contar que a madeira do carrinho é utilizada quando cortamos uma árvore e que uma árvore para crescer leva muito tempo e que, por isso, temos que cuidar muito bem dos nossos brinquedos para que ele fique bastante tempo sendo usado pela criança. Isto seria, assim dizendo, uma mini aula sobre ecologia e sustentabilidade.

Além dos objetos estruturados, você também pode oferecer objetos mais rústicos e naturais  como pinhas, sementes, tocos de madeira de diferentes tamanhos e formas, pedras, conchas, raízes e muitos outros. O objetivo aqui é estimular as “fantasias” e observar como a criança se relaciona com estes objetos. Elas sempre encontram utilidade para tudo isso! Esta é uma ótima oportunidade também para mães criarem histórias para seus filhos ou até mesmo contar sobre as suas experiências em sua infância. Assim, estarão criando um vínculo ainda maior entre vocês.

Embora as crianças, nesta fase da vida, ainda possam compreender pouco sobre tudo que acontece neste exato momento, acredito que mesmo assim elas têm capacidade de sentir. Por isso, permita que seus filhos brinquem livremente onde quer que estejam e se coloque à disposição quando não estiver trabalhando. Estimule as crianças a vivenciarem o melhor da sua primeira infância. Crianças que brincam com liberdade serão os adultos equilibrados e realizados que irão passar adiante estes ensinamentos.

Não perca a esperança, tudo passa!

Até a próxima!

Conheça a nossa seleção de brinquedos! Lembre-se que estamos sempre adicionando novos brinquedos à nossa loja. Por isso, siga-nos em nossas redes sociais para não perder uma novidade!

Photo by Vanessa Bucceri on Unsplash