Jogos e aprendizagem

Para uma criança em idade escolar, a brincadeira constrói vínculo entre o mundo simbólico (fantasia e imaginação) com o mundo real (seu dia a dia).

É brincando que elas desenvolvem novas habilidades e exploram o mundo à sua volta, em busca de explicações.

Os jogos são atividades que se inseridas na brincadeira, são excelentes ferramentas para exercitar a imaginação, raciocínio lógico, trabalho em equipe, regras e a sensação de desafio.

Para o teórico da educação, Piaget (1896- 1980), o jogo possui uma relação com a construção da inteligência, e que o prazer espontâneo motivado pelo jogo estimula a aprendizagem.

Por exemplo, em um grupo com crianças em idade de alfabetização, aplicar um jogo pode gerar sentimento de solidariedade. Elas aprendem a esperar sua vez, a ganhar e a perder, compreendem que existem regras já constituídas para certas atividades e vão desenvolvendo a capacidade da autoavaliação.

Na sala de aula, um dos maiores desafios dos professores é transformar a aprendizagem em uma tarefa lúdica, por isso ensinar inserindo jogos nas atividades enriquece as ações pedagógicas.  O conteúdo mecânico se torna leve e aprendizagem se torna motivadora.

O jogo ideal não é aquele que a criança domina corretamente todas as regras propostas, mas sim aquele que ela tem liberdade para expressar sua imaginação, tenha em sua proposta desafios que a estimule mentalmente completar atividades e dependendo, também trabalhe a coordenação motora.

Não esqueça! O ato de brincar é colocar a imaginação sempre em ação. O importante na escolha do jogo é o quanto ele vai estimular de forma lúdica a criança em seu desenvolvimento.  

INSTAGRAM

FACEBOOK

Photo by IgorVetushko